quarta-feira, 16 de março de 2011

As grandes Rainhas retratadas no cinema!

As mulheres mais poderosas da história receberam cinebiografias  e citações em diversos filmes.

Desde sempre o cinema glamuriza a nobreza,e algumas vezes destroi suas reputações.Mas o fato é que somos fascinados pelas histórias de reis e rainhas através dos tempos.
Abaixo um pouco da história real de cada governante,e quem as viveu no cinema!

 Mary Stuart







País que governou - Escócia
Período - 1542-1567
Essa teve de brigar muito para se manter no poder. Entronada com apenas uma semana de idade, casou-se com Francisco II e reinou na França ao seu lado. Quando ele morreu, ela levou a culpa e fugiu para a Escócia. Assumiu o país e passou a lutar contra a prima, Elizabeth I, rainha da Inglaterra. Casou-se mais duas vezes (a segunda, com o suposto assassino do marido anterior). Perseguida pela nobreza, foi presa e fugiu de novo - para a Inglaterra, onde foi condenada à morte.


Você pode ver o filme que retrata sua vida em:


Mary, Queen of Scots (1971), de Charles Jarrott





Drama biográfico sobre Mary Stuart, Rainha da Escócia entre 1542 e 1567, que esteve envolvida numa intensa batalha de poder com a Rainha Elizabeth I, os lordes e protestantes escoseses e até mesmo com o próprio marido a fim de assegurar a coroa real para seu filho e herdeiro do trono da Inglaterra.





Vanessa Redgrave ... Mary, Queen of Scots
Glenda Jackson ... Queen Elizabeth
Patrick McGoohan ... James Stuart
Timothy Dalton ... Henry - Lord Darnley
Nigel Davenport ... Lord Bothwell
Trevor Howard ... William Cecil
Daniel Massey ... Robert Dudley
Ian Holm ... David Riccio
Andrew Keir ... Ruthven
Tom Fleming ... Father Ballard
Katherine Kath ... Catherine De Medici
Beth Harris ... Mary Seton


No filme ''Elizabeth '',também ela é retratada,só de forma mais cruel ,sob outro angulo.




 Cleópatra



País que governou - Egito    Período - 51 a.C.-30 a.C. Sua suposta beleza é pura invenção ,mas a capacidade de seduzir, não. A rainha do Nilo aprendeu cedo a dividir a cama (e o trono) com quem lhe garantisse poder - inclusive o próprio irmão. Chegou a se mudar para Roma para viver com Júlio César e, depois que ele foi assassinado, envolveu-se com Marco Antônio, outro líder romano. Matou-se com uma picada de víbora aos 39 anos, quando percebeu que não seria capaz de seduzir Otávio, o próximo que poderia lhe ajudar a defender o Egito do total controle romano.

Você pode ver a vida de Cleopatra retratada em várias obras do cinema ,as principais:


Cleopatra -1962


1963 Cleopatra trailer screenshot (74).jpg


O filme narra a ascensão e o declínio de Cleópatra, rainha do Egito, sua luta para defender o império das ambições políticas e territoriais de Roma, e seu relacionamento com Júlio César
e Marco Antônio.



Cleopatra é considerado o filme mais caro de todos os tempos; planejado para custar 2 milhões de dólares em 1962, sua produção custou 44 milhões de dólares em valores da época. Segundo valores atualizados em 2005, o filme custou 286,4 milhões de dólares.Com o relativo fracasso comercial, quase levou à bancarrota a 20th Century Fox, produtora e financiadora do filme.




Por sua participação em Cleopatra, Elizabeth Taylor foi a primeira atriz de Hollywood a receber um milhão de dólares pela atuação em um filme. Até então o recorde era de Audrey Hepburn, que recebeu um salário de 750 mil dólares por "Bonequinha de Luxo".




Elizabeth Taylor .... Cleópatra
Richard Burton .... Marco Antônio
Rex Harrison .... Júlio César

Cleopatra (1934 )


 Dirigido por Cecil B. DeMille.
O roteiro foi escrito por Waldemar Young e Vincent Lawrence, e a adaptação do material histórico ficou a encargo de Bartlett Cormack. O filme foi distribuído pela Paramount Pictures e teve seu lançamento nos EUA em 5 de outubro de 1934.O papel de Cleopatra foi de
 Claudette Colbert











Cleópatra (1999)

É um  filme de 1999, com Billy Zane e Timothy Dalton, feito para a TV, sob a direção de Franc Roddam. Foi baseado no romance de Margaret George, "Memoirs of Cleopatra".






  • A versão original foi produzida com 177 min, sendo dividida em 3 episódios. No Brasil, a versão em DVD foi reduzida para 155 minutos.
  • As locações da filmagem foram em Agadir, Marrocos.
  • A trilha sonora original é de Trevor Jones.
Billy Zane… Marc Antony
Timothy Dalton… Julius Caesar
Rupert Graves… Octavian
Leonor Varela… Cleopatra

  Catarina de Médici


 
País que governou - Florença, na Itália, e França
Período - 1547-1559
Filha do duque Lorenzo de Médici e sobrinha do papa Clemente VI, casou-se com Henrique II, que levou o trono francês após a morte do irmão.Até falecer, em 1589, Catarina regeu à sombra dos filhos, enquanto eles não completavam a maioridade. Foi tempo suficiente para causar vários conflitos religiosos - entre eles, o histórico massacre da noite de São Bartolomeu, em 1572.


  


 Você pode conhecer a história de Catarina de Medice no filme:

      ''A Rainha Margot '' (1994)



 

No filme,Catarina de Medice é vivida pela atriz francesa Virna Lisi....

A Rainha Margot(1994) que retrata a época de  Catarina de Médici,apesar de não ser focado nela especificamente.
 No século XVI um casamento de conveniência é celebrado com o intuito de manter a paz. A união entre a católica Marguerite de Valois, a rainha Margot (Isabelle Adjani), e o nobre protestante Henri de Navarre (Daniel Auteuil) tinha como meta unir duas tendências religiosas. O objetivo do casamento foi tão político que os noivos não são obrigados a dormirem juntos. As intrigas palacianas vão culminar com a Noite de São Bartolomeu, na qual milhares de protestantes foram mortos. Após isto Margot acaba se envolvendo com um protestante que está sendo perseguido.



 Ana Bolena

 
País que governou - Inglaterra
Período - 1533-1536


A amante do rei Henrique VIII teve uma passagem curta pela monarquia inglesa, mas balançou as estruturas. Disposto a tudo para ficar com ela, com uma canetada só Henrique "inventou" uma nova igreja (a anglicana, que permitia o divórcio) e causou a cisão definitiva entre a Inglaterra, o papa e o resto da Europa. Ana reinaria por apenas mil dias e terminaria presa na Torre de Londres, acusada de traição e adultério.

Em 7 de Setembro de 1533, Ana deu à luz uma menina, a futura Isabel I de Inglaterra,mais conhecida como Rainha Elizabeth.
Há uma curiosidade que permite avaliar a personalidade forte e marcante de Ana Bolena e segundo fontes históricas aconteceu por ocasião de sua execução. Alguns, inclusive, dizem ter sido um último recurso da rainha para retardar a consumação da execução, ainda esperançosa de um perdão real por parte de Henrique VIII, perdão este que estaria sendo defendido pela sua irmã, Maria. Quando informada da sua iminente execução, Ana Bolena fez chegar a Henrique VIII uma exigência - não aceitaria ser morta por um carrasco inglês, que utilizava o machado para a decapitação. Exigia a "importação" de um carrasco francês, pois estes usavam a espada. Para justificar a sua exigência, teria dito "uma Rainha da Inglaterra não curva a cabeça para ninguém e em nenhuma situação", pois as execuções com a espada eram feitas com a vítima ajoelhada, mas com a cabeça erguida.
Na manhã de sexta-feira, 19 de Maio, Ana Bolena foi executada, não na Torre Verde, mas sim num andaime erigido sobre o lado norte da Torre Branca, em frente do que é hoje as Casernas de WaterlooEla usava um saiote vermelho sob um avulso, um vestido de tordilha de damasco aparado na pele e um manto de arminho. Acompanhada por duas assistentes do sexo feminino, Ana fez seu último passeio da Casa da Rainha à Torre Verde e ela olhou "como se ela não fosse morrer". Ana subiu o cadafalso e fez um breve discurso para a multidão:
Você pode ver a sua história retratada no filme:
                            A Outra ( 2008)


Uma fascinante e sensual história de intriga, romance e traição. Duas irmãs, Anne (Natalie Portman) e Mary (Scarlett Johansson) Bolena conduzidas pela ambição da família, na busca pelo poder e status se envolvem em um jogo, onde o amor e a atenção do rei da Inglaterra é o objetivo. Jogadas na perigosa e excitante vida da corte, o que era para ser uma tentativa de ajuda à família, transforma-se em uma cruel rivalidade entre irmãs.







                    Ana dos 1000 dias (1969)


Conta a história do rei britânico Henrique VIII, que causa um conflito com a Igreja Católica após se casar com sua segunda esposa. A obsessão do Rei Henrique VIII em ter um filho para se tornar seu herdeiro põe em perigo todos à sua volta. Desde seus mais simples empregados até a jovem e amada Ana Bolena, que foi afastada do trono, como as esposas anteriores do rei, por não conseguir gerar um herdeiro homem para o trono da Inglaterra.


  
 Diretor: Charles Jarrott



 Catarina, a Grande
País que governou - Rússia
Período - 1762-1796
Encantado com a Prússia (hoje Alemanha), o czar Pedro III foi passar uma temporada por lá, meros seis meses após ser coroado. Bobeou: acabou sofrendo um "golpe sem sangue" que o derrubou e colocou sua esposa, de origem alemã, no controle. Culta, amiga de pensadores como Voltaire e Diderot, Catarina confabulou para se manter no trono até seu filho atingir a maioridade. Mas, nesse período, a sociedade russa viu suas desigualdades sociais se aprofundarem bastante.








Você pode ver a história de Catarina retratada no filme:


                    Catarina - A grande (1995 )


Nesta biografia romantizada, Catherine, uma inexperiente princesa alemã, se torna a noiva do filho do czar Pedro, o louco e abusivo filho e herdeiro da czarina Elisabeth da Rússia, com quem aprende a arte do cinismo para conseguir o poder imperial absoluto a qualquer custo, incluindo o sacrifício de seu amante, o jovem oficial Saltikov, que lhe dá um herdeiro que Peter não consegue, devido à sua impotência.
Após a morte de Elisabeth, ela rapidamente se organiza para tomar o poder com o apoio dos militares e da Corte, e trabalha para a ampliação e modernização do império, colocando à frente do Estado o seu amante, um gênio militar que combate os turcos otomanos e governa os territórios conquistados para ela. O filme traça a forma como essa grandiosa líder conseguiu habilmente manipular tanto as instituições sociais de seu tempo, quanto os homens poderosos que a rodeavam, a fim de ganhar controle sobre toda a Rússia.







Elizabeth I
País que governou - Inglaterra
Período - 1558-1603
Filha de Henrique VIII e Ana Bolena, foi a última integrante da dinastia Tudor no comando do país. E encarou com firmeza dois grandes rivais: o rei Felipe II, da Espanha, que abriu guerra à Inglaterra com sua lendária esquadra marinha, a Invencível Armada, e sua prima, Maria Stuart, rainha da Escócia, que queria derrubá-la. Considerada um símbolo nacional de pureza e visão política, Elizabeth foi também foi uma grande patrocinadora das artes. Fez florescer o chamado "teatro elisabetano" - cujo maior nome foi William Shakespeare.



A rainha Elizabeth foi retratada em vários filmes mas alguns se destacaram:



Elizabeth (1998) 




Inglaterra, 1554. O país está dividido entre católicos e protestantes. Mary Tudor (Kathy Burke) está no poder e uma católica fervorosa, mas tem um tumor que a deixa com os dias contados. Sua meia-irmã, Elizabeth (Cate Blanchett), uma protestante convicta e a primeira na linha de sucessão. Elizabeth levada até a rainha, que tenta fazê-la prometer que o país seguirá o catolicismo. Mas, apesar de poder morrer, Elizabeth diz que será fiel sua consciência. Já no leito de morte de Mary Tudor, o Duque de Norfolk (Christopher Eccleston) tenta fazer em vão com que a rainha assine a pena de morte de Elizabeth que, com a morte de Mary, coroada rainha. Entretanto, Elizabeth herda um país falido, sem exército e com inimigos por todos os lados, até mesmo na sua própria corte, forçando-a a calcular cada passo para permanecer no poder. Inicialmente ela comete erros graves, mas gradativamente vai se firmando e, sempre aconselhada por Sir Francis Walsingham (Geoffrey Rush), ela planeja matar todos os seus inimigos para consolidar seu poderio
 O figurino e os cenários da cena de coroação foram inspirados em uma pintura da coroação da verdadeira rainha Elizabeth I.



                              Elizabeth- A era de Ouro (2008)



 

Inglaterra, 1585. Elizabeth I (Cate Blanchett) está quase há três décadas no comando da Inglaterra, mas ainda precisa lidar com a possibilidade de traição em sua própria família. Simultaneamente a Europa passa por uma fase de catolicismo fu
ndamentalista, que tem como testa-de-ferro o rei Felipe II (Jordi Mollá), da Espanha. Apoiado pelo Vaticano e armado com a Inquisição, Felipe II planeja destronar a "herege" Elizabeth I, que é protestante, e restaurar o catolicismo na Inglaterra. Preparando-se para entrar em guerra, Elizabeth busca equilibrar as tarefas da realeza com uma inesperada vulneabilidade, causada por seu amor proibido com o aventureiro Sir Walter Raleigh (Clive Owen).





 Rainha Vitória

 
Países que governou - Inglaterra, Irlanda e Índia
Período - 1837-1901
Nunca houve um nome mais apropriado. Vitória teve o maior reinado que a Inglaterra já viu, num dos melhores períodos do país, e, no final do século 19, tornou-se, por expansão colonialista, também imperatriz da Índia. Subiu ao trono aos 18 anos por ser a única herdeira da família e, pouco depois, casou-se com o primo, o príncipe Albert. Entre seus grandes feitos, liderou a corrida às colônias africanas e asiáticas, forçou a abertura dos portos nas Américas (para vender produtos industrializados ingleses) e apoiou o fim da escravidão. Em seu reinado, a Inglaterra tomou o lugar da França como símbolo máximo de modernidade e de elegância




• O critério para montar o ranking foi a influência e o poder dos países governados na época em que elas estavam no comando

• Seriam as mulheres mais benquistas que os homens? Com exceção de Maria Stuart, nenhuma dessas regentes foi deposta.









          Você pode ver sua Historia retratada no filme:


                                




                                           A jovem rainha Vitoria (2009


 



Dominada por sua mãe possessiva (Miranda Richardson) desde criança, a jovem Vitória (Emily Blunt) se recusa a conceder a ela a regência nos últimos dias de seu tio, William IV (Jim Broadbent). O maior interessado em que isto ocorra é John Conroy (Mark Strong), companheiro da mãe de Vitória, que sabe que perderá poder e prestígio tão logo ela alcance a maioridade e assuma a coroa inglesa. Pouco antes de ser coroada, Vitória se aproxima de Albert (Rupert Friend), príncipe da Bélgica, que se afeiçoa a ela. Após ser coroada ela passa a ser cortejada pelo lorde Melbourne (Paul Bettany), primeiro ministro da época. Dividida entre Melbourne e Albert, Vitória se vê diante de uma crise institucional devido à sua interferência nos assuntos políticos do país.
 A princesa Beatrice de York, filha da produtora Sarah Ferguson, faz uma pequena ponta. Beatrice é a tatatatataraneta da verdadeira rainha Vitória;

- Várias das cenas internas foram rodadas no castelo Belvoir, em Leicestershire. A cama usada na cena da lua de mel foi usada pela verdadeira rainha Vitória quando visitou o castelo, em 1843. O quarto é tão pequeno que todas as câmeras tiveram que ser colocadas do lado de fora das janelas;

- Os vestidos usados por Emily Blunt custaram 10 mil libras esterlinas cada;

- O vestido usado por Vitória em seu primeiro encontro com o conselho é uma réplica do utilizado pela verdadeira Vitória, atualmente disponível em um museu inglês;

- O orçamento de A Jovem Rainha Vitória foi de US$ 35 milhões.






 Isabel da Áustria


Isabel da Áustria
Retrato por François Clouet (1571).


   Isabel da Áustria (5 de Julho de 1554, Viena, Áustria - 22 de Janeiro de 1592, Viena, Áustria) é filha do impLigando-se por laços de amizade a sua cunhada, Margarida, irmão de Carlos IX e esposa do futuro Rei Henrique IV, faz desta sua confidente. Elas corresponder-se-ão mesmo após o retorno de Isabel a seu país natal (1576). Ao saber que Margarida encontrava-se sem rendimentos, esta lhe cede generosamente metade de seu dote. Maximiliano II e de Maria de Espanha.
Carlos IX a trai com Maria Touchet mas suas virtudes a dignificaram : o célebre escritor Pierre de Brantôme lhe faz elogios. Qualifica Isabel de « "uma das melhores, mais doces, mais sábias e mais virtuosas Rainhas que reinará após o reinado de todos os Reis" ».
erador
Em 26 de Novembro de 1570, casa-se com o Rei de França Carlos IX em Spire e é sagrada rainha, como acontecia às rainhas de França, em 25 de Março de 1571, na Basílica de Saint-Denis. Sua entrada em Paris, em 29 de Março, foi grandiosa, contradizendo sem dúvida a vida discreta que levaria na França. Dá a seu marido uma filha, Maria Isabel (1572-1578), mas nenhum varão.
Isabel permanece apenas três anos na Corte, mas deixa boas lembranças, por sua doçura, sua beleza e sua bondade. Muito reservada, falava não só o alemão mas também o espanhol, o latim e o italiano, porém não o francês. Assim, podia apenas comunicar-se com a ajuda de uma de suas damas que lhe servia de tradutora, a Condessa de Arenberg. Permanece uma das rainhas menos conhecidas do Renascimento.




Veja a vida de Isabel retratada na trilogia:

                              ''Sissi -A imperatriz'' (1955) 







Sissi é um filme austríaco de 1955, do gênero romance biográfico, dirigido e roteirizado por Ernst Marischka.
É o primeiro de uma série de três filmes sobre a imperatriz  Isabel da Áustria, mais conhecida pelo apelido "Sissi".
É o ano de 1853. A então princesa Elisabeth da Baviera, de dezesseis anos, acompanha sua mãe e irmã mais velha Helene para a corte austríaca em Bad Ischl, onde o noivado entre Helene e o jovem imperador Francisco José I, seu primo-irmão, será anunciado. Este, contudo, apaixona-se pela outra prima, Sissi, enquanto ela está pescando. Sissi também ama Francisco José, mas o casamento encontrará a oposição da arrogante mãe do imperador.








  • A atriz Magda Schneider, que interpreta a Duquesa Ludovika, mãe de Sissi, nos três filmes da série, é a a mãe de Romy Schneider na vida real.







  • Romy Schneider, como Sissi;

    Karlheinz Böhm, como o imperador Francisco José I;

    Magda Schneider, como a princesa Ludovica da Baviera;



        Maria Antonieta  - Rainha da  França de 1774 até a Revolução Francesa, em 1789





    Maria Antonieta Josefa Joana de Habsburgo-Lorena (em francês: Marie Antoinette Josèphe Jeanne de Habsbourg-Lorraine; Viena, 2 de novembro 1755 - Paris, 16 de outubro 1793), arquiduquesa da Áustria e rainha consorte de França de 1774 até a Revolução Francesa, em 1789. Maria Antonieta era a filha mais nova de Maria Teresa de Habsburgo e de Francisco Estêvão de Lorena, respectivamente, imperatriz e imperador do Sacro Império Romano-Germânico. Casou-se em 1770, aos catorze anos de idade, com o delfim francês Luís Augusto de Bourbon, que, em 1774, tornou-se o rei de França, com o nome de Luís XVI. Maria Antonieta era tia-avó da primeira imperatriz do Brasil Maria Leopoldina da Áustria.




               Você pode ver a vida de Maria Antonieta retratada no filme:


                                                   Maria Antonieta (2006)




    lançamento: 2006 (França, Japão, EUA)


    direção:Sofia Coppola
    atores:Kirsten Dunst, Jason Schwartzman, Marianne Faithfull, Steve Coogan.


    A princesa austríaca Maria Antonieta (Kirsten Dunst) é enviada ainda adolescente à França para se casar com o príncipe Luis XVI (Jason Schwartzman), como parte de um acordo entre os países. Na corte de Versalles ela é envolvida em rígidas regras de etiqueta, ferrenhas disputas familiares e fofocas insuportáveis, mundo em que nunca se sentiu confortável. Praticamente exilada, decide criar um universo à parte dentro daquela corte, no qual pode se divertir e aproveitar sua juventude. Só que, fora das paredes do palácio, a revolução não pode mais esperar para explodir.


    - Sofia Coppola conheceu a biografia de Maria Antonieta em 2000, através da historiadora francesa Evelyne Lever. Na época ela adquiriu os direitos de adaptação para o cinema de seu livro, sendo acompanhada pela autora em sua 1ª visita ao Palácio de Versailles, em 2001. Posteriormente Lever trabalhou como consultora técnica do filme, preparando um dossiê sobre a rainha, de forma a evitar erros sobre sua história;


    - Sofia Coppola se recusou a ler a famosa biografia de Maria Antonieta escrita por Stefan Zweig, por considerá-la rigorosa demais. A diretora preferiu se basear no livro de Antonia Fraser, que faz da rainha um personagem mais humano;



    Você pode gostar também:

     

                                          Cinema sem cortes


     
     

                
     

    ATRASOS

    8,8
    http://liproninonline.blogspot.com/2011/02/cinema-sem-cortes.html

                                                         Frases Celebres
     

     

                                                    

      

        
    http://liproninonline.blogspot.com/2011/01/frases-celebres.html 

    4 comentários:

    constantine disse...

    sensacinal ....
    hoje antes de ir de trabalhar posso dizer que li algo realmente extraordinario ............

    parabéns meu caro

    constantine disse...

    sensacinal , parabéns meu caro

    máteria linda ,bem objetiva e explicativa ..........

    Lilian Pronin disse...

    Obrigada pel ocomentário! Fico contente de poder acrescentar algo bom no dia de alguem!
    Sempre estou em busca de boas ideias para posts de cinema!

    Tati disse...

    parabéns pelo post... achei ele maravilhoso.... já assisti o filme A Outra e achei mto bom....
    continue assim!!

    bjsss

    LinkWithin

    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...